A Escada do Céu!

16 agosto 20110 comentários


Numa viagem cheia de tensões pessoais Jacó teve uma visão de uma escada que unia terra e céu e no resplendor da mesma, percebeu que anjos subiam e desciam por ela (Gênesis 28). Muitas coisas poderiam ser ditas a respeito dessa escada, mas com certeza, contrasta com os degraus da torre de babel. Construção essa, movida pelo orgulho e altivez humana (Gênesis 11).

Mas nessa oportunidade, meditaremos sobre sete degraus da fé que o Apóstolo Pedro propõe em sua Segunda Carta Universal (2 Pedro 1.5-7).

Primeiro degrau: Fé e Obras. E a razão é simples: sem fé é impossível agradar a Deus e,ao mesmo tempo, a fé sem obras é morta. Nossas atitudes devem anunciar Deus. Nossos melhores sermões são os construídos por ações e não por palavras.

Segundo degrau: Obras e Conhecimento. Obras (virtude no texto) que não geram reflexão se transformam em virtuosismo moralista e autoglorificante. Desse sentimento nasce o orgulho, o legalismo, o farisaísmo humano, por outro lado obras sem conhecimento são ações que erram o objetivo. Nosso alvo maior deve ser em agradar o Criador.

Terceiro degrau: Conhecimento e Domínio Próprio. Conhecimento divorciado de autocontrole normalmente nos mergulha numa forma de saber permissiva e que não encontra para si limites, sempre sendo capaz de dar explicações para toda e qualquer forma de atitude ou comportamento. Assim nasce a licenciosidade, o endeusamento dos prazeres, o egocentrismo.

Quarto degrau: Autocontrole e Perseverança. Domínio Próprio sem perseverança pode se transformar em virtuosismo passivo, incapaz do risco, completamente inoperante. Precisamos de um alvo espiritual e empreender todas as nossas forças.

Quinto degrau: Perseverança e Piedade. Piedade aqui pode ser também vista como generosidade, compassividade e misericórdia. Assim se vê que perseverança que não se faz acompanhar de piedade compassiva pode se tornar em obstinação fria, incapaz de se desviar de um objetivo, passando por cima de tudo a fim de alcançar seus fins. A piedade concede ética ao andar perseverante. Quando subimos este degrau é colocado um sentimento de pureza, de santificação. Não basta andar de qualquer maneira, mas o que nos satisfaz espiritualmente é quando temos a certeza de ser espelho da glória do Todo – Poderoso.

Sexto degrau: Piedade e Fraternidade. Piedade sem fraternidade produz messianismo e superioridade espirituais. O piedoso solitário inevitavelmente se torna arrogante. A piedade que não se torna cúmplice com o sentir fraterno olha o outro de cima para baixo. É a visão experimentada a partir da fraternidade que põe o piedoso no nível de seus irmãos e não em superioridade sobre eles. Todo ser humano é imagem e semelhança de Deus e no mínimo merecem ser respeitados.

Sétimo degrau: Fraternidade e Amor. Fraternidade é sempre uma maneira humana e irmã de amar. Entretanto, o amor fraterno encontra a sublimidade no plano dos olhos e do horizonte. No amor fraterno, tem-se imanência, contato, carinho, doação de bens e de si mesmo, toque e a possibilidade da comunhão entre os iguais. 

Subindo estes degraus verás no topo o Senhor Jesus, àquele que morreu na Cruz e ressuscitou ao terceiro dia, convidando a passar a eternidade do seu lado.

Blog do Lucas
Compartilhe :
Comentários
0 Comentários

Postar um comentário

Sua colaboração e participação e FUNDAMENTAL para nosso trabalho!

Não deixe de COMENTAR!

Mas peço a compreensão de TODOS quanto às palavras a serem CITADAS e não utilizar como divulgação de outros Links redirecionando para páginas inadequadas caso contrário será arquivada como SPAM.

Recomendações de Blog's e outras páginas podem ser envidas para nosso e-mail: contato@blogdolucas.com

D'us esteja com você.

 
Copyright © 2012. Blog do Lucas ! - Todos Direitos Reservados
Design Lucas Porto