ÚLTIMAS NOTÍCIAS

O QUE É A INVEJA

Vejamos uma abordagem bíblica sobre o que é a inveja e como ela é apresentada nas Escrituras Sagradas.
1.       Obra da carne – Gálatas 5: 19-21. 19 – “Porque as obras da carne são manifestas, as quais são: adultério, prostituição, impureza, lascívia, 20 - Idolatria, feitiçaria, inimizades, porfias, emulações, iras, pelejas, dissensões, heresias, 21 - Invejas, homicídios, bebedices, glutonarias, e coisas semelhantes a estas, acerca das quais vos declaro, como já antes vos disse, que os que cometem tais coisas não herdarão o reino de Deus”.
Enquanto escrevia este texto, recebi uma ligação telefônica de um amigo baiano. Tratava-se do pastor Vanderlei, presidente da Assembleia de Deus em Cafarnaum - BA. O motivo da ligação era a sua busca por meus dados pessoais para emissão de bilhetes aéreos, a fim de eu pudesse atendê-lo na pregação de um congresso juvenil, para o qual estava agendado. Durante a conversa compartilhei que estava escrevendo sobre a inveja. Nesta ocasião ele falou a seguinte frase: “é um mal do qual ninguém jamais escapou”. Neste momento fiquei chocado e tive que concordar que cada um de nós já fomos vitimados por ela ou demos lugar a esse tipo de carnalidade. É exatamente isso. Uma obra da carne.
Desde que Adão pecou contra Deus e contraiu a natureza do pecado, toda a sua descendência ficou afetada por essa natureza decadente e, portanto inclinada para o pecado.
As obras da carne têm uma funcionalidade bem própria. Elas têm potencialidade dentro de nós, isto é, há em nossa natureza caída, algo chamado por Tiago de “própria concupiscência” (Tiago 1: 14), a qual quando se correspondente com a tentação externa gera quase sempre a prática do pecado.
Assim as obras da carne que são citadas por Paulo em Gálatas 5: 19 – 21 estão potencialmente preparadas para serem produzidas por aqueles que não andarem em Espírito. A orientação do apóstolo a esse respeito é “andai em Espirito e não cumprireis a concupiscência da carne” (Gálatas 5: 16).
Quando o mesmo apostolo escreveu aos Coríntios em sua primeira epistola, capitulo três e versículo três, disse que a prática da inveja é um forte indicativo de um homem carnal. Veja: “Porque ainda sois carnais; pois, havendo entre vós inveja, contendas e dissensões, não sois porventura carnais, e não andais segundo os homens?”
Quando descuidamos do cultivo devocional para uma vida cristã, a carnalidade impera em nosso cotidiano, resultando numa fragilização, quanto a resistência ao pecado.
Posso entender também, que quanto melhor estiver o meu nível de espiritualidade, menos vulnerável estarei aos ataques externos das tentações e mais controlado estará meu ser. Logo os que estão em Cristo Jesus crucificaram a carne, e também não se deixarão possuir de vanglória, provocando uns aos outros, tendo inveja uns dos outros.
Quando estamos fortalecidos no espirito, a concupiscência correspondente dentro de nós, não é latente ao ponto de nos vitimar quanto a prática do pecado em questão. No entanto se não crucificarmos a carne com as suas paixões e concupiscências, também não estaremos em Cristo e a vida espiritual estará caminhando para um fracasso fatal, o qual é o próximo estágio da pratica da inveja, que é a podridão dos ossos.
2.                 A podridão dos ossos – Provérbios 14:30 – “O sentimento sadio é vida para o corpo, mas a inveja é podridão para os ossos”.
“A inveja é a podridão dos ossos”. Essa expressão é própria do sábio Salomão. Mas o que poderíamos deduzir dessa forte declaração, ao analisarmos a funcionalidade dos ossos?
Ao conversar com o reverendo Elinaldo Renovato de Lima sobre o texto sagrado supracitado, ele me esclareceu que como a inveja causa uma tensão emocional, ela contribui para desregular o sistema endócrino, ou das glândulas que produzem hormônios. E esse descontrole hormonal apressa a osteoporose. Disse ele também que há pessoas de pouca idade, que já sofrem desse problema, que é próprio da velhice. Por isso a Bíblia tem razão quando diz que a inveja desequilibra o funcionamento do corpo, causando males até nos ossos.
Mas o que poderíamos deduzir da forte declaração salomonica sobre a inveja, ao analisarmos a funcionalidade dos ossos?
Uma das importantes finalidades do esqueleto humano é estrutural. Comumente, quando se realiza uma construção se faz necessário preparar a parte estrutural, incluindo bases e colunas para que se edifique com segurança.
Quando Deus planejou o ser humano, também elaborou cuidadosamente um projeto que possibilitasse segurança ao corpo. Dentre os elementos da estrutura do nosso corpo, estão especialmente, os ossos. Caso eles se tornem podres, o corpo não terá sustentação. Assim quem quiser fragilizar um corpo, basta investir contra os ossos.
O adversário de nossas almas e da obra de Deus sabe muito bem a maneira de despertar, em mentes incautas, o sentimento da inveja e em consequência, praticas danosas que surgem a partir dela.
Quando alguém é dominado pela inveja, chegou ao deplorável estagio da “podridão dos ossos”. Se os ossos estivem podres, qualquer embate contra o corpo o derrubará. Aqui está um dos grandes riscos a que a pratica da inveja submete ao invejoso.
A inveja fragiliza. Algumas pessoas ao receberem pequenos ataques do mal, caem de imediato. Eu só posso acreditar que estas vítimas já se encontravam fragilizadas.
No estágio de “podridão dos ossos”, basta apenas um comentário a respeito de alguém, para que o invejoso se pronuncie com acusações infundadas, com palavras agressivas, injurias, declarações desagradáveis ou no mínimo desapropriadas para o momento. Daí vem o mal estar e a repercussão negativa a respeito deste alguém. Em seguida surge discursões, intrigas, pelejas e até casos policiais.  Os desdobramentos acima citados são facilmente produzidos a partir de um coração cheio de inveja.
Quantas amizades foram destruídas pela calunia e fofoca de pessoas que de forma irresponsavel, semearam a contenda e a má impressão em corações de pessoas de primeira informação? Sem sombra de dúvida a calunia, a fofoca e a mentira são pecados praticados pela motivação da inveja.
Casamentos já foram destruídos porque o invejoso não suportou ver alguém viver um lindo romance e quis um dos cônjuges para si. É a terrível inveja que promove a derrocada através da trama da sedução, e que opera a traição, a qual é gerada no “ventre” da inveja.
É a inveja que enfraquece o homem interior e o deixa combalido diante de qualquer ataque maligno, o qual levará o alvejado do Diabo à queda.
Já que a inveja é a podridão dos ossos, qualquer indivíduo dominado por ela, fracassará mediante o mais simples ataque que se faça. Veja a seguir como o dominado por este mal, cai. 

A inveja de muitos anuncia o merecimento de alguns. 
Marquês de Maricá
Quanto mais nos elevamos, menores parecemos aos olhos daqueles que não sabem voar. 
Friedrich Nietzsche
É tão natural destruir o que não se pode possuir, negar o que não se compreende, insultar o que se inveja. 
Honoré de Balzac
« ANTERIOR
PRÓXIMA »

Nenhum comentário

Postar um comentário

Sua colaboração e participação e FUNDAMENTAL para nosso trabalho!

Não deixe de COMENTAR!

Mas peço a compreensão de TODOS quanto às palavras a serem CITADAS e não utilizar como divulgação de outros Links redirecionando para páginas inadequadas caso contrário será arquivada como SPAM.

Recomendações de Blog's e outras páginas podem ser envidas para nosso e-mail: contato@blogdolucas.com

D'us esteja com você.